segunda-feira, julho 12, 2010

Está Bem?

"- Você terá que sorrir mais nas fotos.
- Por que fingir que estou feliz?
- É assim que se faz. Se tirarem uma foto, você sorri. Não importa se está feliz. Você apenas sorri para se adaptar.
- Está bem?
- Está bem."
------------------------------
tenho muitas famas. conheço algumas delas e menciono duas aqui: dizem que fui achado na lata do lixo. eu rio. esta em consequência dessa outra: dizem, sou do contra. eu rio.
-
nem sempre foi assim. nunca gostei de sorrir. sempre achei meu sorriso feio. sempre achei meu sorriso falso. mas, eis que uma pessoa disse que meu sorriso era bonito e, então, dei de andar rindo nas fotos. a vaidade falou mais alto, apesar de dizerem que o meu cartão de visitas para o convívio interpessoal (?) era falso também.
-
de fato, meu sorriso foi falso mesmo. se sorri foi pra me encaixar de alguma forma num meio que não necessariamente seria onde estaria bem. para fazer parte da rodinha que se acha cool, para não viver sozinho demais no sertão paraibano, ou postar fotos no orkut fazendo trejeitos bem anos 90 (o que até hoje, apesar de estar neste rol dos que postam, não parei de achar brega).
-
é que não fujo do estranho mundo dos seres humanos, sabe?! precisamos viver, criar todos laços de amizade, de bom companheirismo, amar os outros como se não houvesse amanhã (bullshit), apertar a mão, abraçar, beijar, namorar, casar, morrer. enfim, sorri e correr sempre atrás da felicidade, por conta de uma coisa chamada coercitividade da qual dificilmente podemos fugir.
-
todavia, se senti dor, sorri. de saudades, sorri. cansado, chateado, preocupado, com tantas provas na faculdade por fazer, trabalhos com prazo pra entregar, sorri. se cantei lady gaga, sorri. se escutei forró, sorri. se fui prum show de forró, sorri. quando não fui eu mesmo, sorri.
-
rindo sempre o meu riso mais cínico, benquisto alhure, perdido pra mim, ferido demais, escondendo sinais.
-
de tantas poses fakes, é certo que fingi. e fingi muito bem na hora de rir. afinal, ao menos meu sorriso saiu bonito (?), o que é difícil quando se finge. menti enquanto supuseram que eu estava feliz. (who cares?!)
-
no entanto, a ironia: nas horas mais felizes, não sorri. ensaiei a cara amarrada e me escondi atrás da cara de vilão. fiz-me valente. não fui de nada. e foi só um jeito que escolhi, como na música, para viver na pior. quem riu?! não preciso nem responder, né?!
-
brinquei com os espelhos. espalhei sorrisos. se finjo ou não finjo, agora eu não sei. ou finjo que não sei. e no mais, todo mundo faz planos, procura dar um sentido a vida...

Mateus.

5 comentários:

Júnior Creed disse...

Amigo, eu não sei se você lembra, mas numa de nossas longas conversas numa daquelas igualmente longas noites insones, eu te falei que toda a dissimulação que damos à sociedade é apenas o troco para a hipocrisia que nos é imposta, tu lembra disso? bom, acho que não falei com essas palavras, mas quis dizer exatamente isso. mas, ainda assim, acredito na expressão sincera de seu sorriso e, como já falei, acredito tb na altura de sua risada, porque acredito em você. Muito bom te ter aqui entre os humanos, demasiados humanos; entre os humanos constanetmente inconstantes e agora, humano hedonista. Te adoro, viu?! como eu sempre digo: "com mil rosas roubadas, exageradoooooooo..."

Tâmara disse...

Querido

Não sei rir se nao for com a alma. Quem me conhece, sabe. Alma feliz, riso facil. Alma triste, prantos mil.

... É um prazer te-lo Humano Hedonista.


Beijos

Tâmara

Isaque Criscuolo disse...

O riso é uma manifestação do nosso íntimo e força-lo é esconder-se. Pense nisso.

Projeto Neytter disse...

Mateus, Primeira vez que leio algo seu. Gostei. Bem escrito, tem uma fluidez bacana, bem humorado sem ser ridículo, inteligente e tem uma 'musicalidade' que me impressionou. Gostei. Lerei as próximas. Vlw!

Lini Ribeiro disse...

Benvindo Mateus! Sorrir por sorrir faz parte do show a vida, não é mesmo?
Agora só não entendi isso, me explica? rs... "fazendo trejeitos bem anos 90".

Abs aqui da Hedonista