terça-feira, julho 27, 2010

D'as lembranças



“Tudo viver a teu lado

Com o arco da promessa

Do azul pintado pra durar...”


(Amor de Índio, Beto Guedes)






Saímos para andar na praia e nos perdemos em meio à beleza do lugar, cantamos juntos uma canção antiga que falava de esperança e conseguia retratar em verso e prosa a felicidade da paz interior. Uma música densa, com letra comprida e cheia de frases bonitas, que remetia a abraços, chegadas e cultuava a necessidade sobrenatural de amar e ser amado. Percebi ali que vivenciávamos um momento de extrema comunhão de almas tão puras e limpas quanto à água do mar que batia rebelde nas pedras e explodia respingando em nossos corpos morenos seminus. Agradeci, emocionado, àquela força superior que nos regia e nos iluminava fortemente. Apontei ao céu a fim de indicar ali um momento de rara calma e inspiração, fazendo promessas absurdas ao invisível na tentativa de sacramentar aquela sensação maravilhosa. Sim, todo amor é sagrado.




Por Júnior Creed
@juniorcreed

2 comentários:

Í.ta** disse...

ficou muito boa essa tua costura com os versos da música!

parabéns!

abraço.

Ney Alexandre disse...

"Um momento de rara calma e inspiração". Muito bacana a postagem, Ju. Gostei bastante, pq acho que a coisa mais doce/serena que vc já escreveu. AMO "Amor de Índio"