terça-feira, junho 22, 2010

Sê humano



“Maravilhoso escândalo: nasço”

Clarice Lispector



Sigo tranqüilo... Sentimentos em slow motion numa estética verdadeiramente kitsch e surreal, desço para o mundo numa escada imaginária e curvo-me à beleza das águas de latrinas que escorrem pelo bueiro de uma tempestade que não vai passar tão cedo. Guardei numa caixa de sapatos os meus segredos mais íntimos e ouso revelar em cartas longas que escrevo a mim mesmo, meu melhor amigo. Defino-me como humano. E carece mais? Todo o vocábulo carrega o forte gosto do amor e das hemácias, tudo é tão vermelho-Almodóvar, intensidade em pontos, vírgulas, exclamações e interrogações. Desespero-me ao virar a esquina de verbos, substantivos, palavrões e adjetivos. Trago comigo as dores e as cores, sinto prazer em pintar meu dia, girar com guarda-chuvas enormes e rubros em ruas lotadas. Sou um coração alado e pulsante a procura de um lugar confortável. Entrego-me sem garantias. Faço festas curtas, sou um turbilhão de emoção, o gozo mais fácil e forte, o sangue mais quente e doce, o desejo mais profano e sutil. Sou tantos e um só, me perco nos vários id do meu ego e superego. Vou me revelando aos poucos, relevando aos tolos, resvalando euforia.




Júniór Creed

10 comentários:

Mateus disse...

então, era saudade demais que sentia desses escritos desde o antigo "junior creed" ou do abandonado "vale da solidão".

nesse hiato, jr. de repente me aparece aqui talvez mais consciente de si, falsamente perdido diante de tantos prazeres pós-modernos, paradoxalmente mais homem.

não apenas o homem que goza profanamene e resvala euforia de sua classe, mas o que está de volta pra denunciar em vermelhos carregados o que temos de mais humano. afinal, ele próprio não escapa dessa essência.

se antes minhas terças eram preenchidas com a estética não menos kitsch da série Glee, recém-finda. agora, uma alento vem da bahia e, enfim, tô bem acompanhado novamente, abraçado todas as noites, ainda que a gnt pemaneça dias sem se comunicar.

abração!!

sucesso ao blog e a todos que o fazem.

Ghiza Rocha disse...

Ai de roupa nova, com a qualidade de outrora... hehehe vamos a luta!

Isa Dora disse...

Juuu, tava com saudade de te ler. Adoro, adoro, adoro.
Texto lindo. Vou "reblogar", e dar os créditos rss.
Te amo.
Beijo.

Tâmara disse...

E que tanto de amor eu sinto quando das tuas letras vejo minhas verdades. Meio que parte ocultada de mim. Como a letra de uma música que não me lembro à autoria. Meio que mãe e filho, meio que macho e fêmea, macho e macho, fêmea e fêmea ou só "bicho gente" sendo "bicho gente". E da melhor espécie, atrevo dizer. Senti-me inteira quando você propôs parceira. No primeiro momento achei uma indecência, uma imoralidade. Porque é assim que me sinto quando você chega com seus verbos, vírgulas, palavras, palavrões, quentura e afeto e tira a roupa pra sambar pelado nos meus escritos. E eu me rendi, como sempre. Eu sempre me rendo a você. Agora eu entendo quando dizem que nós vivemos em Caio. Eu rio até faltar o ar. E me falta sempre por que sei que é ele que vive em nós. E o melhor de tudo: Sem direito ao abandono e nos dando todas as possibilidades de sermos o vermelho – Almodóvar de um coração alado. Amigo, Irmão, Amor, Meu coração agradece por você me deixar ser.

Beijos

Ricardo Dib disse...

Tantos em um só... me identifico muito com isso.

Abraço.

neytter disse...

Nuevo hermanito? Ju, meu amor, observo com muito prazer o quanto a sua escrita evoluíu desde que nos conhecemos. Agora você lança sobre o mundo um novo olhar. Se antes era "o mundo contra você", agora parece que é "como me adequar nesse mundo estranho".
Enfim, estarei por aqui, acompanhando vc nessa nova aventura, ao lado dos seus parceiros de caminhada. Estimo vida intensa ao blog. Que dure, o tempo que tiver de durar. Abraços do seu irmão babão.

neytter disse...

Ah, se falei que vc evoluíu é pq antes vc "rascunhava pensamentos". Agora vc se assumiu um "ser que escreve pra valer" sobre seu ideal/filosofia de vida. Boas escritas aí, hermanito!

wesley disse...

Boa sorte, e bons textos =}

Fau Ferreira disse...

Junior,
que textos é esse meu filho??? aff... emocionei! rsrs cheio de referências audiovisualísticas... rsrs adorei!!! vc sabe que eu sou sua fã neh... rs

beiiiiiiiiijo

Fau Ferreira

Diana M. disse...

Como assim você ressurge na blogsfera e não me diz? Pode isso não rs